Notícias do mercado de Outsourcing de Impressão

Terceirização de impressão pode reduzir custos de empresas

O Brasil continua à frente dos países latino-americanos na área de terceirização de impressão, serviço por meio do qual uma empresa contrata outra empresa para gerenciar as impressões do dia-a-dia.

Segundo dados do estudo ‘Latin America Printing Outsourcing 2008’, da IDC, em 2007, o País cresceu 16% em outsourcing de impressão e imprimiu 11 bilhões de páginas. O levantamento aponta ainda que o Brasil responde por quase 60% desse mercado na América Latina, seguido pelo México. O mercado permanece aquecido, tanto que, em 2009, deverá alcançar uma taxa de crescimento de 13%, contabilizando 14 bilhões de páginas impressas.

De acordo com Luciano Crippa, analista da IDC responsável pelo estudo, o grande destaque do ano no mercado brasileiro foi justamente a entrada desse serviço no segmento das pequenas e médias empresas, que já respondem por aproximadamente 23% do movimento nessa área.

“Isso fez com que os canais que antes atuavam apenas na comercialização simples dos produtos passassem a oferecer essa modalidade de serviço, experimentando grande expansão no atendimento da demanda proveniente do chamado small and medium business (SMB)”, esclarece.

Grandes empresas estão encontrando nos clientes das pequenas empresas um filão importante para sua expansão. É o caso da multinacional Low Cost, de São Paulo, que lançou em janeiro o Outsourcing de Impressão voltado para as pequenas e médias empresas.

“Em qualquer empresa, os desperdícios com impressão são muitos. Nas pequenas e médias empresas, este dispêndio pode ser ainda maior devido à falta de controles efetivos. Por exemplo, impressões coloridas que poderiam ser preto e branco, equipamentos de baixo custo de aquisição, mas altíssimo custo para a aquisição de seus insumos e manutenção, problemas com estoque de consumíveis, falta de suporte adequado e assistência técnica permanente”, diz Emerson de Stefano, Diretor da Unidade de Novos Negócios da Low Cost.

Em épocas de crise, redução de custos pode ser a palavra mágica dentro do pequeno negócio. “Nós não vendemos custos adicionais, vendemos produtividade, qualidade e redução de custo. Este é o grande chamariz do nosso negócio. Nós buscamos as melhores práticas porque sabemos que, muitas vezes, a pequena empresa não é regida por questões de governança corporativa. O nosso interesse é justamente crescer num mercado que é muito mal atendido. Queremos prestar um serviço de excelência, um serviço justo”, afirma o dirigente.

Segundo ele, a grande maioria dos pequenos negócios não faz a terceirização dos serviços por desconhecer os benefícios que o outsourcing agrega. De Stefan afirma que alguns clientes reduziram custos em até 40%. “Hoje, muitas vezes, esse trabalho é feito pelo empresário, demandando tempo que não é o core business dele. O nosso trabalho permite que o empresário cuide do negócio”.

Além disso, de acordo com o empresário, a pequena empresa muitas vezes faz aquisição de equipamentos de forma equivocada, comprando máquinas não dimensionadas à sua necessidade. Supostamente baratas, mas com consumíveis e assistência técnica caros.

Outro problema identificado pela Low Cost são os estoque de consumíveis, como toner e cartuchos. “Este é um custo fixo alto porque, às vezes, há extravio de produtos dentro da empresa”. Muitas vezes também o dono da empresa não sabe quem faz as impressões, o que se imprime e quando imprime. “É muito comum um funcionário usar o equipamento para imprimir, por exemplo, 25 teses para o seu curso de mestrado. Com o nosso gerenciamento, ele vai saber”.

Emerson de Stefano lembra também a inexistência de uma política de assistência técnica e de manutenção. “A empresa normalmente tem a garantia de um ano, período em que as máquinas geralmente não dão problemas. Mas a partir do segundo ano, a assistência é no balcão – levar a máquina até a assistência.

Por isso, de acordo com o executivo, o trabalho de terceirização é tão importante para os pequenos negócios. “O pulo do gato para esse empresário é que, de fato, se ele gasta R$ 2.000, eu mostro que ele vai gastar menos”, diz.

Os planos oferecidos pela Low Cost contemplam equipamentos, serviços, manutenção e gestão para parques de impressão. Existem planos elaborados para atender desde pequenos volumes de impressão, a partir de 3.000 páginas por mês, até volumes médios superiores a 300.000 páginas por mês. A Low Cost atende qualquer segmento de mercado localizado na cidade de São Paulo. Stefano diz que tem entre seus clientes imobiliárias, academias, centros médicos e odontológicos, entre outros.

Em todos os planos, o cliente paga por página impressa, sem franquias, e conta com ferramentas online, que lhe permite saber a situação de cada equipamento, o consumo de seus insumos (toners, cartuchos e outros) e principalmente o que e quanto cada departamento ou indivíduo anda imprimindo.

“Existem relatórios de acompanhamento de chamados de assistência técnica e help desk via internet. “Se a máquina quebra, ele tem uma reposição e assistência de no máximo 16 horas. Ele não paga a Low Cost pelo equipamento, pela assistência técnica, pela inteligência do acompanhamento. Ele vai contratar o serviço. Ele vai contratar um plano de impressão, ele vai saber quanto ele vai imprimir e quanto mais ele imprimir, menos ele vai pagar. É a forma justa de valor”.

Fonte: Agência Sebrae de Notícias :: http://www.agenciasebrae.com.br

0 Comments

Leave a Comment